WhatsApp

Kit 5 Tenis Masculino Da Polo Open Original

Translate

COMO SÃO OS DEMÔNIOS ?

 COMO SÃO OS DEMÔNIOS

As Escrituras não descrevem a origem dos demônios; essa questão parece ser parte do mistério que rodeia a origem do mal.
Porém as Escrituras dão claro testemunho da sua existência real e de sua operação. (Mat. 12:26, 27.)
Nos Evangelhos aparecem como os espíritos maus desprovidos de corpos, que entram nas pessoas,
das quais se diz que têm demônio. Em alguns casos, mais de um demônio faz sua morada na mesma vitima. (Mar. 16:9. Luc. 8:2.)
Os efeitos desta possessão se evidenciam por loucura, epilepsia e outras enfermidades, associadas principalmente com o sistema
mental e nervoso. (Mat. 9:33; 12:22; Mat. 5:4, 5.)
 O indivíduo sob a influência de um demônio não é senhor de si mesmo; o espírito mau fala por seus lábios ou o emudece à sua vontade; leva-o
aonde quer e geralmente o usa como instrumento, revestindo-o às vezes de uma força sobrenatural.
Assim escreve o Dr. Nevius, missionário na China, que fez um estudo profundo sobre os casos de possessão de demônios:
Notamos, em pessoas possuídas de demônios na China, casos semelhantes aos expostos nas Escrituras, manifestando-se algumas vezes uma espécie de dupla
consciência ou ações e impulsos diretamente opostos e contrários.
Uma senhora em Fuchow, apesar de estar sob a influência de um demônio, cujo impulso era fugir da presença de Cristo, sentiu-se movida por uma influência oposta, a deixar seu lar e vir a Fuchow
buscar ajuda de Jesus.
O mesmo autor chega à seguinte conclusão, baseado num estudo da possessão de demônios entre os chineses:
A característica mais surpreendente desses casos é que o processo de evidências de outra personalidade, e a personalidade normal nessa hora está parcial ou totalmente
dormente.
 A nova personalidade apresenta feições de caráter diferentes por inteiro, daquelas que realmente pertencem à vitima em seu estado normal, e esta troca de caráter tende, com raras
exceções, para a perversidade moral e impureza.
Muitas pessoas, quando possuídas de demônios, dão evidências de um conhecimento do qual não podem dar conta em seu estado normal.
Muitas vezes parece que conhecem o Senhor Jesus Cristo como uma pessoa divina, e mostram aversão e temor a ele.
 Notemos especialmente estas boas novas:
Muitos casos de possessão de demônios têm sido curados por meio de adoração a Cristo, ou em seu nome; alguns mui prontamente, outros com dificuldades.
Até onde temos podido descobrir, este método de cura não tem falhado em nenhum caso ao qual tenha sido aplicado; não importa ter sido
o caso difícil ou crônico.
 E, em caso algum, até onde se pôde observar, o mal não voltou, uma vez que a pessoa se tornou crente e continuou a viver uma vida cristã...
Como resultado da comparação feita, vemos que a correspondência entre os casos encontrados na China e aqueles registrados nas Escrituras é
completa e circunstancial, cobrindo quase todos os pontos apresentados na narração bíblica. Qual o motivo que influi nos
demônios a fim de apoderarem-se do corpo dos homens?
 O Dr. Nevius responde:
A Bíblia ensina claramente que todas as relações de Satanás com a raça humana têm por objetivo enganar e arruinar, afastando a nossa mente de Deus e induzindo-nos a
infringir suas leis, e trazer sobre nos o seu desagrado.
Esses objetivos são conseguidos por meio da possessão de demônios.
Produzem-se efeitos sobre-humanos que ao ignorante e desconhecedor parecem divinos.
Ele exige e consegue a adoração e a obediência implícitas pela imposição de sofrimentos físicos e por falsas promessas e temíveis ameaças.
Desse modo, os ritos e as superstições idólatras, entrelaçadas com os costumes sociais e políticos, têm usurpado em quase todas as nações da história o


lugar da adoração única a Deus. (Vide 1 Cor. 10:20,21; Apoc. 9:20; Deut. 32:16; Isa. 65:3.) Quanto aos próprios demônios, parece
que eles têm motivos pessoais e próprios.
 A possessão dos corpos humanos parece proporcionar-lhes um lugar muito desejado de descanso e prazer físico.
Nosso Salvador fala dos espíritos maus andando por lugares áridos buscando especialmente descanso nos corpos das vitimas.
Quando privados de um lugar de descanso nos corpos humanos, são representados como buscando-o no corpo dos animais inferiores. (Mat. 12: 3-5.)
Martinho Lutero disse: "O diabo é o contrafator de Deus." Em outras palavras, o inimigo sempre está contrafazendo as obras de
Deus.
E certamente a possessão de demônios é uma grotesca e diabólica contratação da mais sublime das experiências  a
habitação do Espírito Santo no homem. Note alguns paralelos:
1) A possessão de demônios significa a introdução de uma nova personalidade no ser da vitima, tomando-a, em certo sentido,
uma nova criatura. Note como o gadareno endemoninhado (Mat.
8:29) falava e se portava como que controlado por outra personalidade.
Aquele que é controlado por Deus tem uma personalidade divina habitando nele. (João 14:23.)
2) As elocuções inspiradas pelo demônio são imitações satânicas daquelas inspiradas pelo Espírito Santo.
3) Já se observaram casos em que a pessoa que se rende conscientemente ao poder do demônio, muitas vezes recebe um
dom estranho, de forma que pode ler a sorte, ser médium, etc.
O Dr. Nevius escreve:
"Nesse estado, o endemoninhado desenvolve certas habilidades psíquicas e se dispõe a ser usado.
Ele é o escravo voluntário, treinado e acostumado com o demônio." é uma imitação satânica dos dons do Espírito Santo!
4) Freqüentemente os endemoninhados manifestam uma força extraordinária e sobre-humana uma imitação
satânica do poder do Espírito Santo.
O Senhor Jesus veio ao mundo para resgatar o povo do poder dos espíritos maus e pô-lo
sob o controle do Espírito de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderemos a todos sempre que necessário.Obrigado pela visita ao site.

O Crente Pode Se Vestir Como Quiser? Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus. Deuteronômio 22:5

Quando lemos passagens como esta percebemos que Deus queria realmente proteger a sua criação de tomar rumos aos quais Ele não aprovaria. E ...