WhatsApp

Kit 5 Tenis Masculino Da Polo Open Original

Translate

O ABOMINÁVEL DA DESOLAÇÃO

Abominação desoladora

ABOMINAÇÃO DO ANTICRISTO
Em 2 Tessalonicenses 2.4, Paulo começa a explicar sobre a profanação do Templo afirmando que o homem da iniqüidade
“exalta a si mesmo”. Ele se levanta “contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto”. Embora isto possa indicar uma extraordinária blasfêmia contra Deus, como em
Apocalipse 13.6, o cenário é o futuro Templo de Jerusalém (reconstruído). Os “objetos de culto”, portanto, são os vasos sagrados (2 Cr 5.5-7; Hb 9.2-5), e a desolação
acontece na parte mais interna do Templo (O Sunto do» Santos), onde a presença de Deus anteriormente se manifestava (Êx 25.22; 30.6; Ez 43.1-7).
A abominação, no entanto, é o ato do Anticristo de entronizar-se no lugar de Deus, “ostentando-se” (gr. apodeiknunta) como se fosse o próprio Deus (lit., “que ele ? Deus”). Tal ato de blasfêmia cumpre a profecia de Daniel de que o Anticristo “|...| se levantará, e se engrandecerá sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas incríveis [...]” (Dn 11.36). No contexto satânico de Apocalipse 12.9,12- 17 e 13.4-10, a abominação traz alusões aos textos de Isaías 14-13-14 e Ezequiel 28.2-9, onde usurpadores “acima das estrelas de Deus [exaltarão] seu[s] trono[s]”,
"[serão] semelhante[s] ao Altíssimo” e declararão: “Eu sou Deus e sobre a cadeira de
Deus me assento”.
Apesar do precedente estabelecido na interpretação literal do discurso no monte das Oliveiras, que claramente alude à profanação do Templo histórico em Jerusalém, alguns intérpretes de 2 Tessalonicenses 2.4 vêem o “santuário de Deus” como uma metáfora da igreja, em uma expressão alegórica. Vêem o ato da profanação do “homem da iniqüidade” como apostasia no meio da
igreja.
 O texto de Paulo, contudo, era dirigido a leitores do primeiro século. Em uma época em que o segundo Templo ainda estava de pé, sua referência ao “santuário Deus” só podia significar um lugar: o Templo judeu em Jerusalém. Temos ainda outras razões para rejeitar a interpretação simbólica e aplicar a profecia ao Templo físico (considerando, portanto, uma literal abominação da desolação.
Nas poucas vezes em que Paulo usou a palavra grega naos (“templo”) para se referir a algo que não fosse o verdadeiro Santuário em Jerusalém (1 Co 3.16; 6.19; 2 Co 6.16;
Ef 2.21), ele sempre explicou o que queria dizer, a fim de que seus leitores pudessem compreender sua metáfora, (2) A pitlnvra “templo", em 2 Tessalonicenses 2,4, vem acompanhada de um artigo definido ("o templo”), ao contrário do uso metafórico
de Paulo, quando “templo” é, via de regria indefinido (“um templo”). (3) A expressfio“no templo de Deus” complementa o sentido de “se assentará” (gr. kathisai), verbo
este que sugere um local específico, não uma instituição (como a igreja).
Se Paulo estivesse se referindo à apostasia no seio da igreja, teria preferido outros verbos, como
“entronizar” ou “usurpar”, e não um verbo que fosse literalmente “sentar”.
Os pais da igreja anteriores ao Concilio de Nicéia compreendiam essa passagem de forma literal. Irineu (185 d.C.), por exemplo, escreveu: “Pois quando esse Anticristo
tiver devastado tudo que há neste mundo, reinará por três anos e seis meses e sentar-se-á no Templo em Jerusalém.
Então o Senhor virá por entre as nuvens, coberto pela glória do Pai.
 Ele enviará esse homem e seus seguidores para o lago de fogo, mas inaugurará a era do reino para os justos”. A interpretação
de Irineu, que contempla uma profanação literal do Templo, é tanto escatológica como pré-milenialista. A interpretação simbólica ou “espiritual” do “templo” como sendo a
igreja, em contrapartida, não aparece detalhadamente desenvolvida até o século 3, com Orígenes, que foi influenciado pela interpretação alegórica da escola helenista e idealista de Philo.
Podemos, portanto, verificar que a interpretação escatológica da abominação da desolação é respaldada tanto pelo texto como pelo testemunho dos apologistas da
Igreja Primitiva.
 Isto serve para alertar-nos quanto ao dia do engano e da desolação. Ele virá no meio da tribulação, preconizando o juízo de Deus e culminando no retorno do Senhor.
Por Randall 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderemos a todos sempre que necessário.Obrigado pela visita ao site.

O Crente Pode Se Vestir Como Quiser? Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus. Deuteronômio 22:5

Quando lemos passagens como esta percebemos que Deus queria realmente proteger a sua criação de tomar rumos aos quais Ele não aprovaria. E ...