Se quiser faça uma doação. Luiz S Santos. Administradores (Inf: +55 11941343232)

Dispensação Milenar Segundo a Bíblia.

Durante o Milênio, a glória de Deus será manifestada de um modo imprevisto, pois, segundo Isaías, durante aquela dispensação a cidade Celestial iluminará com glória a cidade de Jerusalém terrestre, tal como sucedeu com Israel no deserto, quando uma nuvem de glória os acompanhou, guiando-os até a terra prometida, dando sombra de dia, e luz de noite, Ex 14.19,20; 40.34-36. Isaías descreve algo sobre isso quando diz:
Mil anos de paz e justiça sobre uma Terra restaurada, isso a Bíblia afirma que existirá,a terra totalmente liberta da poluição, do ódio e de todos os terríveis efeitos do pecado.  Já temos, em parte, respondido a pergunta do título, entretanto, o pensamento doutrinário a respeito traçaremos aqui, expondo alguns pensamentos de acordo com a Palavra de Deus. 
No Milênio depois do arrebatamento da igreja, Cristo estabelecerá seu domínio depois da sua vinda gloriosa, na terra, nos céus e nos mares. Será um tempo sem precedentes na história da humanidade.
E então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória.
E ele enviará os seus anjos, e ajuntará os seus escolhidos, desde os quatro ventos, da extremidade da terra até a extremidade do céu, Bíblia sagrada Marcos 13:26,27.
Constantemente ouve-se entre os crentes esta interrogação: 
- Que é o Milênio? 
-Realmente, existem interpretações que são amontoados de erros doutrinários e que fazem do Milênio uma verdadeira aberração. Uns fazem dele um "Reino" especial, tomando como partida os 144 mil selados para dias especiais, AP 14.1; 7.1, mas esses pertencem às tribos de Israel, os quais serão selados,  AP 7.4,5. 
Outros há que já estão formando um reino aqui na terra, como os da  igreja mórmons.
O Milênio na verdade é um período de mil anos, predito pelos profetas do Velho Testamento como sendo o reinado Messiânico, ou seja, o reinado do céu estabelecido na terra, inaugurando uma nova era espiritual, a sétima dispensação, um tempo probatório, especialmente para os que nascerem na época dourada em que Satanás estiver preso. Significa que o diabo estará preso.
Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.
E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo, Apocalipse 20:2,3.
O Milênio não é o fim nem a consumação de todas as coisas, como alguns supõem, mas um tempo de provação e de preparação para o desfecho completo da obra de Deus para a eternidade, quando então o Senhor Jesus, depois de dominar todas as coisas, entregará o reino ao Pai, l Coríntios 15.24-28.
Na primeira parte  do comentário veremos o Milênio do lado material e físico, embora glorioso. Desejamos agora descrever como será o Milênio de acordo com a palavra profética.  Apesar de ser essa dispensação um período probatório para as criaturas, é conhecido como o reino de Davi (constituído com promessas feitas a Davi na sua época) e nela, diz a Escritura: 
"... será estabelecido para sempre o teu trono", Lc 1.32,33,69,70.  
Deus escolherá a Palestina como centro de governo. Os males que assolam a humanidade serão banidos da terra, tais como enfermidades, e crueldades dos homens e dos animais ver, Is 11.6-9; 35.5,6. A terra será de uma fertilidade nunca vista - um jardim bem regado, Is 35.1,2; Jr 31.12. Os homens voltarão à sua antiga longevidade e terão seus dias como as árvores, Is 65.22. 
Haverá nascimentos de pessoas normalmente em profusão durante o Milênio ler, Zc 8.5. Muitos se converterão ao Senhor, e os apetrechos de guerra serão mudados em ferramentas agrícolas, Is 2.4; Mq 4.3. Haverá salvação pelo conhecimento do Senhor e pelo juízo do Altíssimo, como está escrito: "Eis
que salvarei o meu povo...", Zc 8.7; Sf 3.19.
Os profetas tiveram visões com respeito ao futuro de Israel e alguns viram a glória, o "shekinah" de Deus sobre as alturas dos montes de Sião.  Gostaríamos de citar todas as referências sobre esse tão importante assunto, mas temos de nos limitar, para podermos concluir o pensamento. O apóstolo João viu a cidade, a Nova Jerusalém descendo dos céus com tal esplendor que deslumbra os mortais, Ap 21.10 etc. 
Ele nota que a cidade desce, mas não toca à terra, Ap 21.2. 
Enquanto os profetas viram a glória dessa cidade sobre os montes de Sião, Jerusalém terrestre, João vê a da Jerusalém celeste, dizendo: 
 "As nações caminharão na sua luz...", Ap 21.24.
 Naturalmente as nações que ficarem após a grande tribulação que andarão .
 Assim, notamos, segundo a Palavra de Deus, não só uma mas duas cidades.  A terrestre e a celeste. Uma está embaixo e a outra nos ares, com muita glória. 
 Naqueles dias sairá a palavra de ordem de Sião ( que é a cidade celeste), e será anunciada em Jerusalém terrestre, Is 2.3.  Quanto ao tamanho da cidade celeste, é impossível descrever com. algarismos de matemática. 
A cidade será imensurável!  Vejamos: 
 12 mil estádios multiplicados por 185, e o resultado elevado à terceira potência, dará a medida cúbica da cidade: 
Dez bilhões, novecentos e quarenta e um milhões e quarenta e oito mil quilômetros km². 
 Mas esse número é ainda pequeno para calcular o que, em realidade, são as grandezas do Altíssimo, e a maravilhosa cidade Celestial! 
Foi certo o que Jesus disse: "Na casa de meu Pai há muitas moradas...", Jo 14.2. Note bem que há moradas preparadas.  
Durante o Milênio, a glória de Deus será manifestada de um modo imprevisto, pois, segundo Isaías, durante aquela dispensação a cidade Celestial iluminará com glória a cidade de Jerusalém terrestre, tal como sucedeu com Israel no deserto, quando uma nuvem de glória os acompanhou, guiando-os até a terra prometida, dando sombra de dia, e luz de noite, Ex 14.19,20; 40.34-36. Isaías descreve algo sobre isso quando diz: 
 "Então a lua se confundirá e o sol se envergonhará, porque Jeová dos Exércitos reinará em Sião e em Jerusalém na presença dos seus anciãos haverá glória Is 24.23. 
Tamanha será essa glória que tanto a lua como o sol ficarão conturbados. 
 E os povos, moradores de Jerusalém, darão gritos por causa da majestade do Senhor. 
 Até do mar se ouvirão, de muito longe. Concluímos que o "shekinah" divino será tão majestoso que muitos irão a Jerusalém para contemplá-lo, por causa de sua glória. Zc 8.22,23; Mq 4.2; Ap 21.26. Portanto na dispensação milenar haverá uma mudança excepcional, primeiro porque a glória do Senhor será manifestada, e segundo porque Satanás será aprisionado, Ap 20. 
 Contudo ainda não será tirada a maldição da terra, pois morte, doenças, etc, Zc 14.12-16; Is 65.20, ainda existirão. 
Nesse sentido, Paulo instruiu a igreja de Corinto, dizendo: 
 "É necessário que Ele reine até que ponha todos os seus inimigos debaixo de seus pés (falando do reino milenar). O último inimigo que será destruído é a morte, porque todas as coisas lhe serão sujeitas, isso é, todas as coisas se sujeitará a Ele. 
Claro é que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas",que é Deus lCo 15.25-27. 
 Somente no fim do Milênio a morte e todos os poderes infernais serão totalmente destruídos, na completa obra de Cristo no seu reinado, lCo 15.55,56; Rm 16.20; Hb 2.14,15. 
 Isso concorda com a doutrina bíblica. Existem os que concebem um reino fora deste mundo, que interpretam diferente. 
 A terra, nesse tempo, estaria segundo eles, toda corrompida, cheia de corpos mortos e exalando um cheiro nauseante. Satanás andaria de um lado para outro, sem poder tentar ninguém, uma vez que todas as criaturas estariam mortas.
 Isso, como já dissemos, é tirado de Is 66.22-24 interpretando-se ao pé da letra. 
 É provável que, durante o Milênio, Deus deixe alguns corpos mortos, como sinal, num lugar qualquer, para servir de lembrete aos que nascerem durante a dispensação, para que estes vejam o fim dos desobedientes e rebeldes. Onde estará a Igreja nessa época? 
 Primeiramente no Milênio haverá paz e justiça sobre a terra, muito em especial no que diz respeito à política governo do Senhor Jesus, Is 11.5. 
 Os animais terão mudança de instinto, perderão a ferocidade e deixarão de ser carnívoros, passando a herbívoros, Is 11.6-9; 65.25. Quanto ao estado de saúde no tempo milenar, diz a Escritura que .
"Nenhum morador dirá: estou doente...", Is 33.24; 
"No dia em que Jeová atar as feridas do seu povo, e curar o golpe da sua chaga", Is 30.26. 
 Os cegos, os surdos, os mudos e os coxos receberão cura naquela época, Is 35.5,6; Zc 13.1. 
Portanto, oitenta por cento das enfermidades serão banidas da face da terra, para isso haverá os recursos da parte de Deus na própria natureza, Ez 47.12; Ap 22.2. 
 Aqui está tanto o espiritual como o material. Pergunta-se, então.
 Não haverá morte no Milênio nem enfermidades? 
 A resposta é: Haverá, porém em proporções resumidas, pois Isaías diz.
"Um mancebo ao morrer com cem anos ainda é menino (Hoje é um macróbio) e o pecador de cem anos será amaldiçoado", Is 65.20, porque não creu nem desejou o conhecimento do Senhor. 
 E os que não adorarem o Senhor receberão algun tipo de praga, Zc 14.12,17-19. 
 Uma das características do reino milenar é a longevidade dos seres humanos. Os homens em todas as épocas têm estado preocupados com o sonhado.
 "Elixir da Longa Vida" e os laboratórios têm procurado uma droga que dê ao homem o prolongamento da vida física. No Milênio, porém, os homens terão vida como a das árvores, Is 65.22. 
Certamente isso não será para todos, mas para os escolhidos de Deus.
Exatamente porque haverá muitos que conseguiram sobreviver a grande tribulação a terceira guerra mundial. No Milênio haverá plenitude de poder espiritual, principalmente em Israel, Jl 2.28. 
 Haverá também salvação para quem invocar o nome do Senhor, Jl 2.32. Será no Milênio que a tenda de Davi se reerguerá, e Deus mesmo o constituirá como príncipe do seu povo, Ez 37.24,25. 
 E Deus porá o seu tabernáculo sobre eles, Ez 37.26; Ap 21.22. 
Como um dossel de glória, a Jerusalém terrestre será grandemente iluminada com a glória do Senhor. Todas as nações hão de saber que o Senhor é quem santifica Israel, Ez 37.27. 
Durante o Milênio haverá um templo, um lugar inteiramente santo, em cujo recinto sagrado nem todos poderão penetrar, Ez 38.8-12. 
 Esse lugar santo estará na Jerusalém terrestre, que é exclusivamente para os filhos de Levi, os sacerdotes a quem Deus escolher, Ez 38.11; Ml 3.3,4; Ap 20.4-6. 
Que o Senhor nos dê da sua graça, para gozarmos de todas as bênçãos celestiais em Cristo! Amém.

Comentários