Sacrifícios Do Antigo Testamento Comparados Com o De Cristo Em Levítico.

Sacrifícios do Antigo Testamento comparados com o de Cristo em Levítico.
1. Antiga aliança (temporária) Vejamos:  Nova aliança permanente.
Dizendo Nova aliança? 
Então envelheceu a primeira? 
Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar, Hebreus 8:13. Mas agora alcançou Ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas, Hebreus 8:6. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós., Lucas 22:20. 
Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, (mesmo) para agora comparecer por nós (pecadores) perante a face de Deus; Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entrava no santuário com sangue alheio; (isto é, com sangue de animais). De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo, Hebreus 9:24-26.
2. Promessas se tornaram antigas, obsoletas, veja o que diz o autor Aos Hebreus:
Coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços; mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo.
Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo,
Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que faz o serviço;
Consistindo somente em comidas, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção. Mas . . .  vindo Cristo, o Sumo Sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.
Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne, quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito Eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo  
Hebreus 9:6-14
2. Melhores promessas
Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou, Hebreus 8:5.
De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes. Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus, Hebreus 9:23,24.
3. O Velho era uma sombra, uma representação: 
Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. Hebreus 10:1. A lei e os profetas duraram até João; (Na qualidade de profeta do antigo testamento João Batista foi o último) desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele, Lucas 16:16.
3. Novo a realidade
A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu, Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, Hebreus 6:19,20.
Porque?? 
Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; 
A quem também o mesmo Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, esse rei de justiça, e depois também rei de Salém, (Salem aqui é Jerusalém) que é rei de paz;
Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. 
Hebreus 7:1-3.
4. Sacerdócio Araônico (eram muitos e imperfeitos) O De Melquizedeque era perfeito representado o próprio Cristo.
E, na verdade, aqueles que foram feitos sacerdotes em grande número, pela morte foram impedidos de permanecer. Mas este, Jesus, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo. Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, porque vive sempre para interceder por eles.
Porque nos convinha um tal sumo sacerdote, Santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
Que não necessitasse, na verdade como os demais sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, Jesus uma vez, oferecendo-se a si mesmo na cruz.
Porque a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que são fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da Lei, constitui ao Filho de Deus e Filho do homem, perfeito para sempre, Hebreus 7:23-28
5. Sacerdócio era constituído por homens pecadores. Cristo foi o Sacerdote sem pecado.
 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, Santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus. E que não necessitasse, como todos os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo, porque isto fez ele, Jesus uma vez, oferecendo-se a si mesmo co sacrifício, Hebreus 7:26,27.
Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços; mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo, Hebreus 9:6,7
6.Os sacerdotes tinham Sacerdócio limitado que se interrompia na morte. Sacerdócio eterno. 
Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível. Porque ele Deus, assim testifica:  
Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 7.16-17,23-24. E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer, mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo, Hebreus 7:23,24.
7.  Os Sacerdotes tinham de oferecer Sacrifícios diários , Cristo só uma vez por todas. 
 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus. E que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo, Hebreus 7:26,27
De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia então logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? Hebreus 7:11.
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
 Hebreus 7:11-13. 
Então disse: 
Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. E isso ocorreu exatamente assim: 
E apartando-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua, Lucas 22:41,42 Tira o primeiro, para estabelecer o segundo, Hebreus 10:9.
8. Os pecados eram cobrados com sacrifícios de animais. No novo foi cobrado com o Sacrifício do Filho de Deus. 
Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.
Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne, quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?
E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna, Hebreus 9:11-15
9. No Velho os sacrifícios eram Sacrifícios contínuos. No Novo não. Sacrifícios não seriam mais necessários.
E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados;
Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés.  Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. 
Hebreus 10:11-14
10. Expiação por um ano porque de ano em ano o Sumo Sacerdote entrava no templo para santificar o povo.
Ora, também a primeira tinha ordenanças de culto divino, e um santuário terrestre. Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o santuário.
E depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos
Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;
E sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente. Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços; mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo; 
Hebreus 9:1-7
             

Comentários