WhatsApp

Kit 5 Tenis Masculino Da Polo Open Original

Translate

QUANDO SE DEU O ARREBATAMENTO DE ELIAS ?

O arrebatamento de Elias

Como poderia Jeorão, rei de Judá, ter recebido uma carta de Elias, tanto tempo depois de o profeta ter sido arrebatado (2 Cr 21.12-15)?
É óbvio que isso não poderia ter acontecido: Elias não podia escrever cartas após seu arrebatamento.
 Mas essa pergunta pressupõealgo que nunca aconteceu, a saber, a trasladação de Elias antes do reinado de Jeorão, filho de Josafá.
Somos  convidado a consultar W. Crockett, A harmony of Samuel, Kings, and Chronicles, p. 247, onde verá que "o arrebatamento de Elias"é registrado no reinado de Jorão, filho
de Acabe.
Portanto, teria sido perfeitamente possível que Elias escrevesse uma carta de advertência e repreensão em847 a.C, visto que o reinado de Jeorão de Judá (848-841) em grande parte se sobrepôs ao de Jorão de Israel (852-841).
É certo que Elias ainda estivesse em plena atividade no reinado do rei que precedeu imediatamente Jorão, a saber, Acazias de Israel (853-852), que também era
filho de Acabe.
 Sabemos disso por causado encontro que Elias teve com dois pelotões de soldados enviadoscom o objetivo de prendê-lo,os quais foram destruídos
pelo fogo que desceu do céu, em resposta à oração de Elias (2 Rs 1.3-16).
É bem provável que esse homem deDeus houvesse vivido mais quatro ou cinco anos, até que o caráter e os costumes do indigno filho de Josafá se tornaram aparentes.
(2 Cr 21.4 relata como Jeorão sentenciou à morte todos os seus irmãos tão logo setornou rei.
É possível que sua esposa, Atalia, filha de Jezabel,o tenha incitado a promover a matança de seus irmãos. Ela própria tentaria, mais tarde, matar todos os sobreviventes da casa de Acabe, depois queseu filho Acazias foi morto por Jeú em
841 a.C.).
É verdade que o relato do arrebatamento de Elias ao céuestá em 2 Reis 2.1 -11, e não há referência aoreinado de Jeorão de Judá senão em 2 Reis 8.16.
Mas devemos lembrar-nos de que o narrador de 1 e 2 Reis escreve sobre as carreiras dos reis e as dos principais profetas, Elias e Eliseu, alternando-as.
 Num momento, ele desenvolve certo tema e descreve uma façanha de Elias, sem abandonar a história enquanto não a termina.
Foi o que aconteceu ao narrar o episódio da partida de Elias para o céu.
Esse fato está intimamente relacionado à dotação de Eliseu com os poderes de seu amado mestre.
Primeiro, Elias o chamara para o discipulado, no reinado de Acabe, depois de haver atirado sobre ele, simbolicamente, seu manto (1 Rs 19.19-21), não muito tempo
depois do desafio no monte Carmelo.
Quando se aproximou o final da carreira terrena de Elias, no reinado de Jorão, filho de Acabe (852-841), o tema mais importante, do ponto de vista do autor de
Reis, ficam sendo a sucessão profética.
Portanto, com muita lógica, ele cuidou disso em primeiro lugar (i.e., o derramamento daporção dobrada do espírito de Elias sobre Eliseu, no momento em que se separam).
Não seria apropriado que o autor, antes disso, voltasse a escrever sobre os acontecimentos nacionais de Israel e Judá, narrados no capítulo 3.
(O escritor usa o mesmo procedimento em 2 Rs 19.37, em que trata do assassínio de Senaqueribe, ocorrido em 681 a.C, antes da doença de Ezequias, ocorrida em 714.)
No que concerne à narrativa de 2 Crônicas,não nos é informado se a partida de Elias, ocorreu antes ou depoisda ascensão de Jeorão, filho de Josafá, ao trono real, mas não existe nenhum aparente anacronismo a ser resolvido.
É muito provável que a carta de Elias a Jeorão houvesse sido escrita em 847 e entregue ao destinatário no
mesmo ano, um pouco antes de ele ser arrebatado ao céu pela carruagem de fogo (2 Rs 2.11).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderemos a todos sempre que necessário.Obrigado pela visita ao site.

O Crente Pode Se Vestir Como Quiser? Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus. Deuteronômio 22:5

Quando lemos passagens como esta percebemos que Deus queria realmente proteger a sua criação de tomar rumos aos quais Ele não aprovaria. E ...