WhatsApp

Translate

OS ATRIBUTOS DE DEUS / A RELAÇÃO DE DEUS COM OS HUMANOS / COMO DEUS TRATA COM OS HOMENS

OS ATRIBUTOS DE DEUS

Atributos não relacionados (a natureza íntima de Deus).
(a)Espiritualidade;
Deus é Espírito. (João 4:24).
Deus é Espírito com personalidade; ele pensa, sente e fala; portanto, pode ter comunhão direta com suas criaturas feitas à sua imagem.
Sendo Espírito, Deus não está sujeito as limitações às quais estão sujeitos os seres humanos dotados de corpo físico.
Ele não possui partes corporais nem está sujeito às paixões; sua pessoa não se compõe de nenhum elemento material, e não está sujeito às condições de existência natural.
Portanto, não pode ser visto com os olhos naturais nem apreendido pelos sentidos naturais.
Isto não implica que Deus leve uma existência sombria e irreal, pois Jesus se referiu à "forma" de Deus. (João 5:37; vide Fil. 2:6.) Deus é uma
Pessoa real, mas de natureza tão infinita que não se pode apreendê-lo plenamente pelo conhecimento humano,
nem tampouco satisfatoriamente descrevê-lo em linguagem humana.
"Ninguém jamais viu a Deus", declara o apóstolo João (João 1:18; vide Êxo. 33:20); no entanto, em Êxo. 24:9,10 lemos que Moisés, e certos anciãos, "viram a Deus".
Nisto não há contradição; João quer dizer que nenhum homem jamais viu a Deus como ele é.
Mas sabemos que o Espírito pode manifestar-se em forma corpórea (Mat. 3:16); portanto, Deus pode manifestar-se duma maneira perceptível ao homem.
Deus também descreve a sua personalidade infinita em linguagem compreensível às nossas mentes finitas; portanto, a Bíblia fala de Deus como ser que tem mãos,
braços, olhos e ouvidos, e descreve-o como vendo, sentindo, ouvindo, arrependendo-se, etc.
 Mas Deus também é insondável e inescrutável.
"Porventura... chegarás à perfeição do Todopoderoso?" (Jo 11:7) . e nossa resposta só pode ser: "não temos com que tirar, e o poço é fundo" (João 4:11), usando a expressão da mulher samaritana.
Infinitude.
Deus é Infinito, isto é, não está sujeito às limitações naturais e humanas. A sua infinitude é vista de duas maneiras: (1) em relação ao espaço. Deus caracteriza-se
pela imensidade (1 Reis 8:27); isto é, a natureza da Divindade está presente de modo igual em todo o espaço infinito e em todas as suas partes.
 Nenhuma parte existente está separada da sua presença ou de sua energia, e nenhum ponto do espaço escapa à sua influência.
"Seu centro está em toda parte e sua circunferência em parte nenhuma.
" Mas, ao mesmo tempo, não devemos esquecer que existe um lugar especial onde sua presença e glória sãoreveladas duma maneira extraordinária; esse lugar é o céu. (2) Em
relação ao tempo, Deus é eterno. (Êxo. 15:18; Deut. 33:27; Ne.
5:5; Sal. 90:2; Jer. 10:10; Apoc. 4:8-10.) Ele existe desde a eternidade e existirá por toda a eternidade.
O passado, o presente e o futuro são todos como o presente à sua compreensão. Sendo eterno, ele é imutável"o mesmo ontem, hoje, e eternamente".
Esta é para o crente uma verdade confortadora, podendo assim descansar na confiança de que "O Deus da antiguidade é uma morada, e por baixo estão os braços eternos" (Deut. 33:27).
 Unidade.
Deus é o único Deus.
 (Êxo. 20:3; Deut. 4:35,39; 6:4; 1 Sam. 2:2; 2 Sam. 7:22; 1 Reis 8:60; 2 Reis 19:15; Nee. 9:6; Isa. 44:6-8; 1 Tim. 1:17.) "Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é
o único Senhor."
 Era esse um dos fundamentos da religião do Antigo Testamento, sendo também essa a mensagem especial a um mundo que adorava a muitos deuses falsos.
Haverá contradição entre este ensino da unidade de Deus e o ensino da Trindade do dedos comprimem as teclas.
 Assim, sempre que a pessoa peca,está usando o poder do próprio Criador para ultrajá-lo. Todo pecado é um insulto contra Deus.
(b) Onipresença.
Deus é onipresente, isto é, o espaço material não o limita em ponto algum. (Gên. 28:15, 16; Deut. 4:39; Jos.2:11; Sal. 139:7-10; Prov. 15:3,11; Isa. 66:1; Jer. 23:23,24; Amós
9:2-4,6; Atos 7:48,49; Efés. 1:23.).
Qual a diferença entre imensidade e onipresença?
Imensidade é a presença de Deus em relação ao espaço, enquanto onipresença é sua presença considerada em relação às criaturas.
 Para suas criaturas ele está presente nas seguintes maneiras:
1) Em glória, para as hostes adoradoras do céu. (Isa. 6:1-3.)
2) Eficazmente, na ordem natural. (Naúm 1:3.)
3) Providencialmente, nos assuntos relacionados com os homens. (Sal. 68:7, 8.).
4) Atentamente, àqueles que o buscam. (Mat. 18:19, 20; Atos17:27.)
5) Judicialmente, às consciências dos ímpios. ( Gên. 3:8; Sal.68:1, 2.).
 O homem não deve iludir-se com o pensamento de que existe um cantinho no universo onde possa escapar à lei do seu Criador.
"Se o seu Deus está em toda parte, então deve estar também no inferno", disse um chinês a um cristão na China.
"Sua ira sim está no inferno", foi a pronta resposta.
6) Corporalmente em seu Filho. "Deus conosco" (Col. 2:9).
7) Misticamente na igreja. (Efés. 2:12-22.)
8) Oficialmente, com seus obreiros. (Mat. 28:19, 20.) Embora Deus esteja em todo lugar, ele não habita em todo lugar.
Somente ao entrar em relação pessoal com um grupo ou com um indivíduo se diz que ele habita com eles.
(c) Onisciência.
 Deus é onisciente, porque conhece todas as coisas. (Gên. 18:18,19; 2 Reis 8:10,13; 1 Crôn. 28:9; Sal. 94:9;
139:1-16; 147:4-5; Prov. 15:3; Isa. 29:15,16; 40:28; Jer. 1:4-5;Ezeq. 11:5; Dan.2:22,28; Amós 4:13; Luc. 16:15; Atos 15:8, 18;Rom. 8:27, 29; 1 Cor. 3:20; 2 Tim. 2:19; Heb. 4:13; 1 Ped. 1:2; 1
João 3:20.)
O conhecimento de Deus é perfeito, ele não precisa arrazoar, ou pesquisar as coisas, nem aprender gradualmente seu conhecimento do passado, do presente e do futuro é instantâneo.
Há grande conforto na consideração deste atributo.
Em todas as provas da vida o crente tem a certeza de que "vosso Pai celestial sabe" (Mat. 6:8).
A seguinte dificuldade se apresenta a alguns: sendo Deus conhecedor de todas as coisas, ele sabe quem se perderá; portanto, como pode essa pessoa evitar o perder-se?
Mas a presciência de Deus sobre o uso que a pessoa fará do livre arbítrio não obriga a escolher este ou aquele destino.
Deus prevê sem intervir.
(d) Sabedoria. Deus é sábio. (Sal. 104:24; Prov. 3:19; Jer.10:12; Dan. 2:20,21; Rom. 11:33; 1 Cor. 1:24, 25, 30; 2:6, 7; Efés.
3:10; Col. 2:2, 3.) A sabedoria de Deus reúne a sua onisciência e
sua onipotência.
Ele tem poder para levar a efeito seu conhecimento de tal maneira que se realizem os melhores propósitos possíveis pelos melhores meios possíveis.
 Deus sempre faz o bem de maneira certa e no tempo certo. "Ele fez tudo bem." Esta ação da parte de Deus, de organizar todas as coisas e executar a sua vontade no curso dos eventos com a finalidade de
realizar o seu bom propósito, chama-se Providência.
A divina providência geral relaciona-se com o universo como um todo;sua providência particular relaciona-se com os detalhes da vida do homem.
(e) Soberania. Deus é soberano, isto é, ele tem o direito absoluto de governar suas criaturas e delas dispor como lhe apraz. (Dan. 4:35; Mat. 20:15; Rom. 9:21.)
Ele possui esse direito em virtude de sua infinita superioridade, de sua posse absoluta de todas as coisas, e da absoluta dependência delas perante ele para que continuem a existir.
 Desta maneira, tanto é insensatez, como transgressão, censurar os seus caminhos.
Observa D. S. Clarke: A doutrina da soberania de Deus é uma doutrina muito útil e animadora. Se fosse para escolher, qual seria preferível ser governado pelo fatalismo cego, pela sorte
caprichosa, pela lei natural irrevogável, pelo "eu" pervertido e de curta visão, ou ser governado por um Deus sábio, santo, amoroso e poderoso?
 Quem rejeita a soberania de Deus, pode escolher ser governado dentre o que sobra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Responderemos a todos sempre que necessário.Obrigado pela visita ao site.

Como Será Os últimos Dias ? A Vinda De Cristo.

Várias expressões na Bíblia Aponta para os tempos finais desse sistema antes da volta de Jesus. Muitas vezes chamamos de os últimos dias, úl...