Luiz Administradores (Inf: +55 11941343232)

A Vida Após a Morte.

Ao ler o ensino do Antigo Testamento concernente à vida futura dos humanos, devemos ter em mente que a obra redentora de Cristo tem tido grande efeito sobre a nossa relação com a morte e a vida.   Cristo na verdade veio para abolir a morte.
Começamos aprender já no antigo testamento.
 Ao ler o ensino do Antigo Testamento concernente à vida futura dos humanos, devemos ter em mente que a obra redentora de Cristo tem tido grande efeito sobre a nossa relação com a morte e a vida. 
 Cristo na verdade veio para abolir a morte.
" Ele aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo Evangelho" (2Tim. 1:10). 
Cristo trouxe  e absoluta confiança quanto à vida vindoura dos humanos feitos sua imagem e semelhança.
 Ele também efetuou a grande libertação dos santos que morreram no decorrer do Antigo Testamento, que estavam na verdade, guardados em um estado intermediário, essa liberação lhes proporcionou muito mais felicidade em sua pós morte.
 Muito embora a revelação vétero-testamentária não seja tão ampla sobre o assunto, quanto a do Novo Testamento, concernente à vida apos a morte, encontramos ali a referida doutrina. 
A doutrina do Antigo Testamento sobre a imortalidade baseia-se na relação entre o homem e Deus. 
O humano, criado como à imagem de Deus, é dotado de capacidade para conhecer a Deus e com ele ter comunhão, se relacionar com Ele.
Isso significa que o humano é muito mais do que um simples animal, e que sua existência ultrapassa os limites do tempo terreno. 
Foi criado para viver e não para morrer. 
Mas o pecado a desobediência trouxe a morte ao mundo e, assim, ao humano.
Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram, Romanos 5:12.
A morte, no seu aspecto físico, nada mais é do que a separação do corpo da alma,  entretanto, não implica extinção da alma isso é, não é o fim.
A Bíblia  no Antigo Testamento ensina que a personalidade do humano, sobrevive a morte isso é a alma.
O corpo do ser humano é depositado na sepultura enquanto a alma ficava no lugar denominado "Seol" que quer dizer (traduzido "inferno", "o poço", e "a sepultura") a morada dos espíritos dos finados. 
Há provas que o "Sheol" não era o céu pelo fato de ser descrito como estando "em baixo".
 ( Para o entendido, o caminho da vida leva para cima, para que se desvie do inferno em baixo, Provérbios 15:24),
Terra mais baixa.
(Filho do homem, pranteia sobre a multidão do Egito, e faze-a descer, a ela e às filhas das nações magníficas, às partes mais baixas da terra, juntamente com os que descem à cova, Ezequiel 32:18).
O meio do inferno (desceram).
 (Os mais poderosos dos fortes lhe falarão desde o meio do inferno, com os que a socorrem,  desceram, jazeram com os incircuncisos mortos à espada, Ezequiel 32:21). 
Que não era um lugar de felicidade suprema  ainda, prova-se pelas seguintes descrições: 
 Era um lugar sem lembrança de Deus.
Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro quem te louvará, Salmos 6:5?
Um lugar, de crueldade.
(Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme, as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas.
Cant. de Salomão 8:6, Versão Brasileira),.
Um lugar de dor. 
(A secura e o calor desfazem as águas da neve; assim desfará a sepultura aos que pecaram.
Jó 24:19), Versão Brasileira).
Um lugar de tristeza.
 (Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam, Salmos 18:5Sal. 18:5 Versão Brasileira).
 Era um lugar do qual aparentemente ninguém voltava.
(Jo 7:9, Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir,  Versão Brasileira).
 O Sheol, não desfrutando do brilho da pessoa de Cristo ressuscitado, é um lugar sombrio que inspira receio, e, por conseguinte, alguns dos santos do Antigo Testamento receavam ir para esse lugar como a criança receia entrar num quarto escuro, e também os humanos em certo sentido hoje.
 (Vide o Sal. 88 e Isa. 38).
 Sehol era habitado tanto pelos justos e também pelos que não foram salvos.
(Quem dera que me escondesses na sepultura, e me ocultasses até que a tua ira se fosse, e me pusesses um limite, e te lembrasses de mim! 
Porque a minha alma está cheia de angústia, e a minha vida se aproxima da sepultura.
 Jacó rasgou as suas vestes, pôs saco sobre os seus lombos e lamentou a seu filho muitos dias.
E levantaram-se todos os seus filhos e todas as suas filhas, para o consolarem; recusou porém ser consolado, e disse. Porquanto com choro hei de descer ao meu filho até à sepultura. Assim o chorou seu pai, Jó 14:13, Sal. 88:3; Gên. 37:34,35).
 Como  também pelos que praticam o mal.
 (Porque os lábios da mulher estranha destilam favos de mel, e o seu paladar é mais suave do que o azeite. Mas o seu fim é amargoso como o absinto, agudo como a espada de dois gumes.
Os seus pés descem para a morte; os seus passos estão impregnados do inferno. 
Não me deixes confundido, Senhor, porque te tenho invocado. Deixa confundidos os ímpios, e emudeçam na sepultura, Provérbios 5:3-5,Sal. 31:17). 
Do caso do rico e Lázaro concluí-se que havia na verdade, duas seções no Sheol,(um lugar de sofrimento para os ímpios.
(E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.
E, clamando, disse: 
Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. 
Disse, porém, Abraão: 
Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males, e agora este é consolado e tu atormentado, Lucas 16:23-25 ).
E outro para os justos, um lugar de descanso e conforto (Luc. 16:25 verso citado). 
Contudo, os santos do Antigo Testamento não estavam sem esperança já mais, eles aguardam a ressurreição de Jesus. 
O Santo de Deus, o Messias, desceria tão logo fosse morto ao Sheol, e o povo de Deus seria redimido do Sheol conforme. 
 ( Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá. (Selá.)
Salmos 16:10 , Salmos 49:15; Versão Brasileira.)
Essas são profecias que cumpriu-se quando Cristo, após sua morte, desceu ao mundo inferior dos espíritos dos finados .
(Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: 
Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso, Mateus 12:40, Luc. 23:42,43).
Foi aqui que Ele libertou do Sheol os santos do Antigo Testamento, levando-os consigo para o Paraíso celestial. 
(Por isso diz: 
Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens.
Ora, isto Ele subiu e que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra?
Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas.
Efésios 4:8-10 Efés. 4:8- 10.) 
Essa passagem nos faz entender, que houve uma mudança nesse mundo dos espíritos desencarnados, e que o lugar ocupado pelos que foram agraciados por Deus no anti ressurreição, que aguardam foiram trasladado para as regiões celestiais. 
 (Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu, Efésios 4:8, 2Cor. 12:2.).
Desde então, os espíritos dos que são salvos no pósd morte, sobem para o céu e os espíritos dos que não erdadam a vida eterna, descem para a condenação. 
(E deu o mar os mortos que nele havia, e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia, e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, Apocalipse 20:13,14).
 Outras passagens do ensino do Antigo Testamento sobre a vida futura são as seguintes: 
 1) A frase "congregado ao seu povo" (Gên. 25:8) ou "aos pais", usada por Abraão, Moisés, Arão e Davi, deve referir-se à existência consciente após a morte e ao sepultamento, pois esses homens não foram enterrados nos túmulos ancestrais. 
2) As trasladações de Enoque e Elias provam com certeza a existência duma vida futura de felicidade na presença de Deus. 
 3) As palavras de Cristo em Mat. 22:32 representam meramente uma forte expressão da própria crença dos judeus. De outra forma nenhuma influência teriam sobre os ouvintes.
4) A doutrina da ressurreição dentre os mortos é claramente exposta no Antigo Testamento. (Jo 19:26; Dan. 12:1,2.) 
5) Quando Jacó disse: "Com choro hei de descer ao meu filho até a sepultura" 
Em todas essas referências, deve o leitor fazer o confronto das versões de Almeida e Brasileira. (Nota do Tradutor). (literalmente "Sheol", e assim traduzida na Versão Brasileira.
Em (Gên. 37:35), de maneira nenhuma ele se referia à sepultura literal, pois ele supunha que o corpo de José teria sido devorado por uma fera. 
 2. Ensino do Novo Testamento. 
 O Novo Testamento reconhece a existência no pós morte, na qual a vida espiritual continua sob novas e melhores condições. 
 Entrar nessa vida é o supremo alvo do homem. 
(E, se a tua mão te escandalizar, corta-a; melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, Marcos 9:43).
Aceitando a salvação que o próprio Cristo oferece, o humano já na vida presente hoje  passa da morte para a vida conforme. 
(Aquele que crê no Filho (Jesus) tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece, João 3:36).
Isso, entretanto, é somente o começo pois a sua plenitude pertence à existência que começa com a "ressurreição da vida". 
(E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação, João 5:29 João 5:29).
Existe uma vida que virá a qual é eterna 
(Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir, 1 Timóteo 4:8).
 Essa vida agora está oculta, mas se manifestará quando Cristo, que é nossa vida, aparecer.
 (Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória, Colossenses 3:4).
Cristo dará a coroa da vida prometida àqueles que o amam 
(Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam, Tiago 1:12). 
Mesmo o estado atual dos que faleceram crendo em Cristo e tendo sido batizado, é algo melhor do que a presente vida Nele 
(Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho, Filipenses 1:21 Fil. 1:21). 
Mas a plenitude de vida, qual é a terra da Promissão, e o seu direito de primogenitura como filhos de Deus, serão revelados na volta de Cristo. 
(E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo, se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo,  Romanos 8:17 , Gálatas, 4:7). 
A morte física não pode interromper a comunhão entre o ser humano que creu no evangelho e foi batizado, e seu Senhor. 
"Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá (João 11:25,26). 
Com essas palavras Jesus assegurou a Marta e Maria que seu irmão não havia perecido, mas estava seguro tranquilo.
 O que Jesus quis dizer foi o seguinte: 
 "Eu amava muito o vosso irmão e com ele tive muita comunhão. 
Compreendendo quem eu sou, lembrando o meu poder, pensais que eu permitiria à morte interromper essa comunhão?
A comunhão que para nós ambos era uma grande delicia?"
 Existem muitos argumentos formais a favor da imortalidade. 
Mais do que a lógica fria, o que mais satisfaz é justamente saber que estamos em comunhão com Deus e com o seu Cristo. Vamos imaginar o caso dum ser humano fiel que durante muitos anos gozou de preciosa comunhão com o Filho de Deus, ouviu sua voz e sentiu sua presença sempre?
Agora quando o humano está prostrado no leito de morte ouviremos então o Filho de Deus dizer-lhe: "Andamos juntos, gozamos de doce comunhão, mas chegou a hora do eterno adeus"? 
Não.
 Assim não aconteceria! 
Aqueles que estão "em Cristo" 
(Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor, 1 Tessalonicenses 4:14-17).
Não podem ser separados dele nem pela vida e nem pela morte.
(Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor, Romanos 8:38,39).
Para aquele que viveu conscientemente na presença de Cristo, ser separado de Cristo pela morte é coisa impossível isso não acontecerá. 
Para aqueles que estão unidos pelo amor de Deus, é inconcebível separar-se desse amor para entrar num estado do nada e desolação extirpação. 
Cristo diz a todos os humanos que aceitam o evangelho: 
 "Está Lázaro, está alguém, unido a mim? 
Ele confia em minha pessoa? 
Tudo que sou e todo o poder está em mim reside em operarão em sua vida. 
Teu irmão está unido a mim pelos laços da confiança e do amor, e visto que eu sou a Ressurreição e a Vida, esse poder operará nele." 

Comentários