Luiz Administradores (Inf: +55 11941343232)

A Palavra Profética Em Evidência

Porque é Necessário Estudar e Pregar a Palavra Profética?
"Porque decidi nada saber entre vós, senão Cristo, e este crucificado" (1 Co 2.2). 
Essa é a mensagem central da Bíblia, de grandioso poder profético. 
Por isso, é uma leviandade incomparável pregar continuamente a Jesus Cristo, o Senhor crucificado e ressuscitado, somente como figura histórica e anunciar Sua obra na cruz do Gólgota como fato histórico. 
A mensagem bíblica é infinitamente mais profunda:
Quando Cristo lutou com a morte e foi feito pecado na cruz por nós, Seu ato redentor singular e eternamente válido liquidou com o passado de pecado da humanidade e exterminou.
Pois está escrito em Hebreus 9.11-15:
 "Quando, porém, veio Cristo como sumo  sacerdote dos bens já realizados, mediante o mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, não desta criação, não nem por meio de sangue de bezerros ou cabritos ou carneiro, mas pelo Seu próprio sangue, e entrando se no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo feito a eterna redenção. 
Isso foi o que Fez Jesus. Mas porque milhões de pessoas vivem ainda sendo dominada pelo pecado?
Exatamente porque não se entregam totalmente a Jesus.
Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;
E não quereis vir a mim para terdes vida. E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará, Lucas 9:23,24, João 5:39,40.
Portanto, se o sangue de touros, e a cinza de uma novilha, aspergida contaminados, os santifica, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo que, pelo eterno, proposito entregou se  a si mesmo se oferecendo sem mácula a purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo!  Por isso mesmo, Ele o Cristo é o mediador da nova aliança a fim de que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia sobre a aliança de outrora, recebam a promessa eterna aqueles que têm sido chamados ao evangelho'.'
Chama a atenção aqui a acentuação das palavras:
"bens já realizados",
"eterna redenção",
"Espírito eterno",
"promessa da eterna herança".
A eternamente válida  é a obra de redenção de Jesus Cristo antes da fundação do mundo.
Quando se pensa que o próprio Criador, a origem de toda a vida, derramou Sua vida em Seu sangue, ficamos profundamente comovidos e começa-se a perceber porque a terra tremeu, o sol perdeu seu brilho naquele memorável dia, e as rochas se fenderam. 
Temos que lembrar, quando o Filho de Deus derramou Sua vida em Seu sangue na cruz do Gólgota,
esse precioso sangue não desapareceu na areia, mas foi glorificado, vivificado e tornado eficiente por toda a Eternidade pelo Espírito Santo. 
Por isso, esse fato eternamente válido através de Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, também vale hoje e é completamente efetivo para os que nele crêem: "no qual temos a redenção, pelo sangue, a saber a remissão dos pecados, segundo a sua graça" (Ef1.7). 
Por realizar uma redenção eterna, na cruz foi somente a manifestação visível de um fato existente antes da fundação do mundo. 
Lemos essas últimas palavras, por exemplo, também em Apocalipse 13.8, onde se fala primeiro dos seguidores do anticristo, ou seja, da besta, "e adorá-la-ão todos os habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no livro da vida do Cordeiro que desde a fundação do mundo"Também na glória eterna Jesus Cristo é o Cordeiro que foi morto por nós. 
João O viu em Apocalipse 5.6: 
"Então vi, no meio do trono e dos quatro seres vivente entre os anciãos de pé, um Cordeiro como morto..."
A obra de redenção é permanente! 
O Gólgota não é limitado àquelas três horas em que o Senhor foi desamparado por Deus tratou-se da execução no tempo, daquilo que tinha acontecido desde a Eternidade e será válido por toda a Eternidade. 
Em nosso raciocínio estreito e nossa capacidade de compreensão limitada, não podemos entendê-lo:
Cristo foi morto antes da fundação do mundo  e na plenitude do tempo Ele realizou essa eterna redenção como o Cordeiro de Deus.
O paradoxo divino o Cordeiro de Deus e o,Leão de Judá.
Por toda a Eternidade, Jesus Cristo é o Leão de Judá, o Vencedor e por toda a Eternidade, Ele será o Cordeiro que venceu! 
Por isso Ele, o Cordeiro, será o centro resplandecente e luminoso do novo céu, da nova terra e
especialmente da nova Jerusalém! Lemos a respeito em Apocalipse 21.23: "A cidade não precisa nem do nem da lua, para lhe darem claridade, pois a Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada
sim o Cordeiro que foi morto é a lâmpada da glória de Deus. 
Mas o Cordeiro e o Leão não são opostos? 
Sim, uma (aparente) contradição divina: 
Nos Seus dias terrenos, havia em Jesus Cristo o paradoxo divino de Leão e Cordeiro:
 Ele era um leão em Sua Majestade dominadora sobre o vento e os demônios e era um cordeiro em Sua humildade, não respondendo com injúrias quando era injuriado (comp. 1 Pe 2.23).
Ele era um leão em Seu poder, quando ressuscitou os mortos, e era um cordeiro em Sua paciência, pois "como cordeiro foi levado ao matadouro, e, como muda perante os seus tosquiadores, ele não ab
boca" (Is 53.7).
Ele era um leão em Sua autoridade, quando anunciou: 
"Ouvistes que foi dito aos antigos... 
Eu, porém, go..!' 
(Mt 5.21-22). 
E era um cordeiro em Sua amabilidade com os fracos e pequenos: "Deixai vir a mim os pequeninos..!' (Mt 19.14) e "tomando-as nos b impondo-lhes as mãos, as abençoava" (Mc 10 Em nossa vida pessoal, Jesus Cristo também quer mostrar-se assim: 
Ele é o Cordeiro, que expia nossos pecados, nos tira da maldição e implanta em nós Sua herança de santidade. Ele é o Leão, que governa sobre nós, de modo que dizemos cheios de alegria: 
"O domínio da minha vida está sobre Seus ombros!'
 E o que vale para a vida de cada humano individualmente, vai tornar-se realidade também para todo o Universo, quando Jesus Cristo voltar. Virá o tempo em que o Leão de Judá governará e todos os reinos do mundo pertencerão ao nosso Deus e ao Seu Cristo, quando todo joelho se dobrará diante dEle.
Encontramos mais um paradoxo em Apocalipse 6.16, onde se fala da "irado Cordeiro". 
Sabemos o que é aira de um leão. 
Mas a ira de um cordeiro ?? 
O cordeiro é a síntese de mansidão e da humildade é algo que ultrapassa nossa capacidade de compreensão. 
Tudo que podemos dizer a respeito, é que a ira de Deus é o terrível reverso do amor de Deus. 
Essa é a volta do Senhor Jesus. 
Mas, ainda não vemos o reverso, ainda vivemos sob Sua longanimidade, ainda o amor de Deus vai ao encontro dos homens! O testemunho de Jesus é a palavra da profecia. Quem reconhece o Cordeiro de Deus e Sua obra consumada nas dimensões citadas, começa também a compreender que nós, que nisso cremos e recebemos uma herança eterna por força da Sua obra, de modo nenhum podemos ir em frente sem a palavra profética! 
É o que Paulo pretende dizer em 1 Coríntios 15.19: 
"Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a  essa vida, somos os mais infelizes de todos os homens!' E somos pessoas sem futuro. Por isso, compreendo o fato da nossa juventude moderna, que não conhece essa mensagem, andar com camisetas em que está escrito:
"No future" 
 "Sem futuro"!  
Pois quanto mais nova uma pessoa é, tanto mais nitidamente ela ainda consegue distinguir o que é essencial e o que não é essencial. Portanto, quem não estuda nem anuncia a palavra profética, diminui o testemunho de Jesus Cristo. 
Pois o testemunho de Jesus Cristo é a própria palavra profética. É o que podemos ler em Apocalipse 19.10b: "...o testemunho de Jesus é o espírito da profecia!' Isso quem realmente tem o testemunho de Jesus, recebeu junto também o espírito da profecia bíblica. 
Exatamente o mesmo Espírito que capacitou o anjo para transmitir a João essa elevada revelação de Deus, age em todo verdadeiro filho de Deus! Se és um filho de Deus, então age em ti o Espírito da profecia: 
"O próprio Espírito testifica com o nosso espírito qu filhos de Deus" (Rm 8.16). 
És um filho de Deus?
Se trata somente do Espírito de filiação, mas também do Espírito da profecia no sentido bíblico, que te dá uma maravilhosa visão do futuro do Senhor. Então nosso futuro não está mais encoberto para ti! Não! 
Então olhamos profundamente para dentro das revelações da palavra profética, e descortina-se amplamente diante do nosso espírito toda a plenitude da beleza, ou seja, o maravilhoso futuro que o Deus cheio de graça preparou para os Seus. 
Trata-se do mesmo Espírito que, unido com a noiva do Cordeiro, diz ao Noivo, como lemos na última página da Bíblia:
 "O Espírito e a noiva dizem: 
Vem. 
Aquele que ouve diga: 
Vem que tem sede, venha, e quem quiser receba d água da vida" (Ap22.17). Por um lado, esse é um c te para ti, que ainda não estás salvo: "Vem a Jesus!" Por outro lado, trata-se de um chamado da noiva pelo
Noivo celestial, Jesus Cristo: "Vem!" 
E o versículo 20 conclui com Sua resposta: 
"Aquele que dá testemunho destas cousas diz: 
Certamente venho sem dem que a noiva e o Espírito retrucam: "Amém. Vem, Senhor Jesus!'
Engano religioso.
 — falsos profetas
Nestes tempos finais, Satanás tem grande ódio daqueles que têm esse testemunho completo de Jesus e também o transmitem. É o que se conclui, por exemplo, claramente de Apocalipse 12.17, onde está dito: "Irouse o dragão foi pelejar contra a mulher e   contra a sua descendência, os que guardam
os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus.
O engano religioso através de falsos profetas fica atualmente cada vez mais acentuado, ele é forte, mágico, atraente e consiste na pregação de um cordeiro sem futuro. Encontramos a perfeição dessa imitação do Cordeiro no falso profeta, na "outra besta", de que João fala em Apocalipse 13.11: 
"Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo com carneiro, mas falava como dragão!' 
Quem é, realmente, essa "outra besta"?  contexto, é extremamente esclarecedor, saber que o anticristo não está sozinho. Sem levar em conta seus dez reis, ou seja, dez vassalos, ele também tem um promotor, um  propagandista genial, justamente essa "outra besta", que é identificada nos capítulos 16.13; 19.20 e 20.10 do Apocalipse como o "falso profeta".
                                        No alto do rochedo Gólgota (ao fundo, vista de Jerusalém). 

Ali estava a cruz em que Jesus Cristo reconciliou o mundo com
Deus. 
Quem é, realmente, essa "outra besta"? 
contexto, é extremamente esclarecedor, saber que o anticristo não está sozinho. Sem levar em conta seus dez reis, ou seja, dez vassalos, ele também tem um promotor, um  propagandista genial, justamente essa "outra besta", que é identificada nos capítulos 16.13; 19.20 e 20.10 do Apocalipse como o "falso profeta". 
Mas também a imitação da Trindade de Deus é um fato: 
O dragão = o anti-Pai;
A primeira besta = o anti-Filho;
A segunda besta = o anti-Espírito.
O falso profeta é o anunciador dessa trindade satânica.
Já noAntigo Testamento, e também na História de modo geral, temos exemplos dessa tática:
— Faraó, o anti-semita, procurou os magos como auxiliares religiosos (Êx 7.11,22).
— Balaque, o rei moabita, que queria destruir Israel, o falso profeta Balaão, que deveria amaldiçoar
Israel (Nm 22ss).
— Dã, uma das tribos rebeldes de Israel — seu nome significa "serpente" — tomou para si um levita como sacerdote (Jz 18).
— Absalão, o filho rebelde de Davi, buscou a Aitofel como conselheiro (2 Sm 16 e 17).
— Acabe, o sétimo rei na linha israelita, nunca teria se transformado no que foi sem Jezabel e os que lhe obedeciam (1 Rs 21.5 a seg).
— Hitler tinha a Goebbels, cujo lema era: 
"Cremos na vitória, porque temos o 'Führer'!" 
O elemento religioso é um dos mais fortes na História da humanidade. Com a manifestação do falso profeta, surgirão também o império mundial unificado provavelmente, que está em formação, e a igreja mundial unificada também, ou seja, uma religião mundial. 
Que tanto o falso profeta como o anticristo são chamados de "besta", nos mostra seu objetivo comum: 
A glorificação de Satanás, e sua crueldade animalesca. Essa segunda besta é subordinada à primeira, ela faz tudo para o dragão e para o anticristo. 
Se está dito que essa segunda besta subirá da terra, isso tem significado profético porque  refere-se ao Império Romano então restaurado obviamente. 
Essa segunda besta é o equivalente e infernalmente ao Espírito Santo, que glorifica a Jesus, de modo que adoramos ao Cordeiro.
O poder da outra besta, do falso profeta
Que o falso profeta é um típico "realizador", conclui-se
dos versículos 12-17 de Apocalipse 13, onde se destacam vários verbos: 
"Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a seus habitantes adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. Também opera grandes milagres de maneira que até fogo do céu faz descer à terra diante dos homens. 
Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar, dizendo aos que habitam sobrea terra adorem a imagem à besta, àquela que, ferida à e sobreviveu, cuja chaga mortal foi curada. E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.
E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia. E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Apocalipse 13:13-17
Isso significa: 
Assim como a primeira besta recebeu toda autoridade do dragão, ela por sua vez faz que todo o seu poder seja exercido pela segunda besta. Em outras palavras: 
A segunda besta faz cumprir a vontade e as leis do anticristo. Por isso ela é uma imitação quase perfeita do Cordeiro, pois "possuía dois chifres, parecIdo cordeiro" (comp. Ap 13.11). Mas os dois chifres
expressam somente poder político. 
"Chifres" podem caracterizar tanto o cordeiro como a ovelha (diferentemente da maioria das ovelhas domésticas, as ovelhas selvagens têm chifres). Por isso, o Senhor Jesus adverte
tão seriamente em Mateus 7.15: 
"Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçado, mas por dentro são lobos roubadores!' A atual atividade febril dos homens, já não está sendo mostrado o que acontecerá então? Não é o espírito do falso profeta, que acossa as pessoas quase até à morte, porque elas adoram o dinheiro, automóveis ou quaisquer outros bens? 
Atualmente já existem muitos falsos profetas entre nós, eles são como cordeiros, mas através da sua falsidade interior eles propagam um falso cristo, como o falso profeta propagará o anticristo. Porque o estudo da palavra profética é tão importante?
Vivemos em um tempo terrível de engano religioso, de grande confusão, de intrigas e engodos. Por isso Deus já ordenou na Antiga Aliança, através do profeta Isaías, no capítulo 45.11: 
"Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou: 
Perguntai-me das coisas futuras, demandai-me acerca de meus filhos, da obra das minhas mãos" (Ed. Rev. e Corrigida nosso abençoado Senhor Jesus também disse em Mateus 24.24: 
"porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para
se possível, enganar os próprios eleitos!'
Aqueles, porém, que atualmente procuram somente sinais e milagres, serão vítimas fáceis do inimigo, que realiza sinais e milagres através dos poderes da mentira.
Por isso, o estudo e a pesquisa da palavra profética são de tão grande importância! 
Não foi em vão que Pedro disse com ênfase: 
"Temos assim tanto mais confirma a palavra profética, e fazeis bem em atendê-lá  uma candeia que brilha em lugar tenebroso, dia clareie ea estrela da alva nasça em vossos (2Pe 1.19).
 Com isso também temos a, explicação, como a palavra profética age em nossos corações: como uma
luz! A chave para o entendimento da palavra
profética. Mas vamos uma vez deixar de lado a consideração corriqueira, de que vivemos em um mundo escuro, em que a Palavra de Deus é uma luz para nós. No Salmo 97.2 está escrito:
 "Nuvens e escuridão o rodeiam".
— Um homem que não é renascido, dirá que os ensinos de Jesus são extremamente simples. Mas quando temos o Espírito Santo, encontramos nuvens e escuridão à Sua volta. 
Isso quer dizer: unicamente pela luz do Espírito de Deus em nosso interior, torna-se possível, pouco a pouco, ter compreensão da Palavra de Deus e entender as palavras proféticas de Jesus. Se nunca deixamos o lugar comum religioso e nunca ficamos livres da familiaridade inconveniente com que nos dirigimos a Deus, é duvidoso se realmente nos encontramos alguma vez em Sua presença. 
As pessoas que são tagarelas e familiares diante dEle, pertencem aos que ainda não conheceram a Jesus Cristo. Após a alegria surpreendente e a libertação, que o reconhecimento daquilo que Jesus Cristo fez por nós traz consigo, vem a escuridão, na qual tentamos reconhecer quem Ele é. Jesus disse: "...as palavras que eu vos tenho dito, são Espirito e vida" (Jo 6.63). Aqui Jesus fala das Suas palavras, como de palavras proféticas. Antes a Bíblia consistia para nós de muitas palavras, nuvens e escuridão,
até que repentinamente essas palavras tornam-se Espírito e vida, porque Jesus Cristo as diz a nós novamente em circunstâncias bem especiais. 
Essa é a maneira como Deus fala conosco, não através de sonhos e visões, mas por meio da Sua Palavra. Quando uma pessoa vem a Deus, isso acontece pelo meio extremamente simples da Sua Palavra. E, justamente por isso, é de tão eminente importância ouvir a palavra profética, "como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso". 
Pois a afirmação de 2 Pedro 1.19 é mesma do Antigo Testamento, no Salmo 119.105, onde está escrito: "Lâmpada para os meus pés é a tu palavra, e luz para os meus caminhos!' 
Aqueles que se o Senhor Jesus passo a passo, desse modo seguem à Palavra profética, eterna, que se fez carne. 
Pois é o que lemos em Hebreus 1.1-2: 
"Havendo Deus, outrora, falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pelos profetas, nestes últimos dias nos falou pelo Filho mesmo, o Filho, é a palavra profética. E quando seguimos a Ele, ou seja, à Palavra, nosso caminho torna-se cada vez mais claro e iluminado, como está escrito em Provérbios 4.18: "Mas a vereda dos justos é como da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito!' Isso, por sua vez, é o que diz a já citada palavra de 2 Pedro 1.19: 
"Temos assim  confirma palavra profética, e fazeis bem em atendê-la uma candeia que brilha em lugar tenebroso, dia clareie e a estrela da alva nasça em vossos. Unicamente pela luz do Espírito de Deus em nosso interior, torna-se possível, pouco a pouco, ter compreensão da Palavra de Deus e entender as palavras proféticas de Jesus.  luz da palavra profética nos conduz para casa.
 O que todos precisamos, não são milagres, que ofusquem nossos olhos, nem visões, cujo brilho nos enleve, mas luz profética no caminho escuro e difícil, que temos que seguir; uma candeia amiga, que ajude a iluminar nosso trabalho. 
Se bem que estrelas são mais elevadas e meteoros muito mais brilhantes e ofuscantes; mas essa candeia que brilha em lugar tenebroso, corresponde muito mais às nossas urgentes necessidades diárias.
Deus nos dá essa luz profética orientadora, para que permaneçamos no bom caminho para casa. 
Pode ser que freqüentemente tenhas dúvidas e te perguntes: 
"Israel realmente é a luz da profecia que se cumpre? 
Estamos mesmo a caminho do arrebatamento, não nos desviamos?" 
— A palavra profética iluminará nosso caminho até que Jesus venha! 
Velhas histórias não são mais modernas em um tempo de vida apressada. Mas um contemporâneo de Hudson Taylor grande reformador protestante, de um tempo quando tudo que hoje é ultrapassado ainda era novo, relata sobre sua experiência a respeito:
"Eu tinha realizado um estudo bíblico em um povoado distante meia hora da minha casa. Meu caminho de volta levava-me por uma estreita trilha através da mata. Já era tarde e estava muito escuro, havendo o perigo de perder me nas numerosas trilhas que se cruzavam na mata. 
Por isso, as pessoas queriam dar-me uma pequena tocha de lenha de iluminação, tirada de um tipo especial de pinheiro. Eu recusei, dizendo que a tocha era muito pequena; ela não pesava nem 250 gramas. 
— "Mas ela o conduzirá para casa", respondeu meu anfitrião. 
— "O vento poderia apagá-la", retruquei. 
— "Ela o conduzirá para casa." 
— "E se chover?" 
— "Ela o conduzirá para casa." 
A firme confiança do homem, fez com que eu finalmente cedesse. E ele ficou com a razão. A pequena tocha iluminou meu caminho de forma completamente suficiente, de modo que cheguei em casa sem acidentes nem transtornos. 
Desde então tive que pensar muitas vezes nessa pequena experiência. Que orientação segura ela contém
para pessoas temerosas e com dúvidas. Se utilizasses somente a Sagrada Escritura, a palavra profética, como teu guia, ela iluminaria teu caminho para casa, também através da noite, de tempestades e pela mata escura. 
E quando enfrentas pessoas que duvidam, com suas restrições a respeito do poder da Palavra, sendo que um vê isso e o outro aquilo como defeito, não lhes dês atenção, respondendo-lhes somente como aquele velho camponês com a tocha: 
"Mas ela iluminará meu caminho para casa"." 
Três coisas no caminho estreito para casa.
O caminho estreito é o próprio Jesus Cristo (comp. Jo 14.6). 
E do mesmo modo, a palavra profética é o Senhor crucificado e ressuscitado por nós. 
Por isso, somente podemos dizer com o compositor do hino: 
"O caminho através da cruz leva para casa"! (tradução literal do alemão). 
E por isso esse caminho, um caminho de sofrimentos, é muitas vezes escuro, freqüentemente cansativo e nos parece mesmo perigoso — mas ele é iluminado pela palavra profética, pela candeia, pois o Senhor nos alivia e fortalece na jornada, através do Seu maravilhoso amor. 
Por isso, não esqueçamos as três coisas no caminho estreito para casa:
— Luz
— Amor
— Sofrimentos.
Não nos é possível definir a luz, o amor ou os sofrimentos. 
Trata-se somente de nomes para elementos incompreensíveis na experiência humana dos filhos de Deus, cujo verdadeiro caráter é interior, não exterior. 
Se o coração está no relacionamento correto com Deus, há muitos sofrimentos no caminho para casa. Mas se não houvesse noite, "a lua e as estrelas que  (SI 8.4), nunca poderiam ser vistas. Assim Ele também dá aos Seus "os tesouros escondidos" (Is 45.3); como diz a Edição Revista e Corrigida: "os tesouros da escuridade". 
O mais profundo sofrimento pode ser indicado em três esboços: amizade com Deus, comunhão com Jesus e a jubilosa certeza: no final do caminho verei Jesus como ELE é, sim, serei semelhante a ELE!
Vem em breve Senhor Jesus! Amem

Comentários