Se quiser faça uma doação. Luiz S Santos. Administradores (Inf: +55 11941343232)

Onde Estão Neste Momento As Pessoas Que Morreram No Decorrer Dos Tempos?

A eternidade, céu, inferno, purgatório, estado intermediário, são assuntos muito comentados nos meios dogmáticos religioso no mundo inteiro.  Todos queremos saber sobre esse futuro sombrio a que estamos expostos.  Mas tudo o que queremos saber está aqui na Bíblia o livro que nos trás informação acerca desse assunto e de Deus.

A eternidade, céu, inferno, purgatório, estado intermediário, são assuntos muito comentados nos meios dogmáticos religioso no mundo inteiro. 
Todos queremos saber sobre esse futuro sombrio a que estamos expostos. 
Mas tudo o que queremos saber está aqui na Bíblia o livro que nos trás informação acerca desse assunto e de Deus.
O ser humano é composto de três partes:  A parte espiritual é a que não morre, e volta para Deus.
A composição do homem é, corpo alma e espirito. 
E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu. Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coraçãoo mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo, Eclesiastes 12:7, Hebreus 4:12, Mateus 10:28 4:12, 1.
Nos animais é só corpo e alma. 
No caso do animal o sangue significa alma.
(Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento. Tudo vos tenho dado como a erva verde. A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis. Somente esforça-te para que não comas o sangue, pois o sangue é vida, (ou a alma), pelo que não comerás a vida com a carne. Não o comerás, na terra o derramarás como água, Gênesis 9:3,4, Deuteronômio 12:23,24.
Quando o animal morre finda tudo para aquele animal, ele não vai nem para o céu nem para o inferno, ele é extinto por completo, diferente dos humanos que a alma sobrevive a destruição do corpo.
Nos humanos a alma é aquela substância que reveste o espirito do homem, que torna os humanos inteligentes é como uma particula de Deus.  
Deus fez o homem. 
Façamos o homem … nossa imagem, conforme a nossa  semelhança." 
Vamos ler na Bíblia;
(Ver, Gên. 5:1; 9:6; Ecl. 7:29; Atos 17:26,28,29; 1  Cor. 11:7; 2 Cor. 3:18; 4:4; Efés. 4:24; Col. 1:15; 3:10; Tia. 3:9;  Isa. 43:7; Efésios. 2:10, Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez. Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem. 
Eis aqui, o que tão-somente achei:
 que Deus fez ao homem reto, porém eles buscaram muitas astúcias. 
E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação.
 Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como também alguns dos vossos poetas disseram:
 Pois somos também sua geração.
Sendo nós, pois, geração de Deus, (espécie) não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.
O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. 
Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. 
Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 
E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade. 
O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.
 E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. 
A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para a minha glória: eu os formei, e também eu os fiz. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas). 
O homem foi criado à semelhança de Deus,  foi feito como Deus em caráter e personalidade. E em todas as Escrituras o ideal e alvo exposto diante do homem é o de ser semelhante a Deus. 
(Lev. 19:2; Mat. 5:45-48; Efés. 5:1, Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: 
Santos sereis, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo. 
Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. 
Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? 
Não fazem os publicanos também o mesmo? 
E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? 
Não fazem os publicanos também assim? 
Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus).
Notemos que a casa terestre que se desfazer é esse corpo que tomba na morte, temos outra feita por Céus nos céus.
E ser  como Deus significa ser como Cristo, que é a imagem do Deus  invisível.  A Bíblia ensina claramente a doutrina de uma criação especial dos humanos, que significa que Deus fez cada criatura "segundo a sua  espécie". 
Ele criou as várias espécies e então as deixou para que  se desenvolvessem e progredissem segundo as leis do seu ser. 
A  distinção entre o homem e as criaturas inferiores animalescas, implica na  declaração de que "Deus criou o homem à sua imagem".
Em oposição à criação especial de Deus, surgiu e teoria da evolução que ensina que todas as formas de vida tiveram sua origem em uma só forma e que as espécies mais elevadas surgiram de uma  forma inferior. 
Por exemplo, o que outrora era caramujo transformou-se em peixe;
O que era peixe chegou a ser réptil; 
O que outrora era réptil tomou-se pássaro, e (para encurtar a história) o que outrora era macaco evoluiu e tornou-se ser humano. 
Essa teoria é a seguinte: 
Em tempos muito remotos apareceram a matéria e a força.
— Mas como e quando, a ciência não o sabe. 
Dentro da matéria e da força surgiu uma célula viva.
 — Mas de onde ela surgiu também ninguém sabe. 
Numa célula havia uma centelha de vida, da qual se originaram todas as coisas vivas, desde o vegetal 
até ao homem, sendo este desenvolvimento controlado por leis inerentes. 
Essas leis, em conexão com o meio ambiente, explicariam a origem segundo eles, das diversas espécies que têm existido e que existem,  incluindo o homem. De maneira que, segundo essa teoria, houve uma ascensão gradual e constante desde as formas inferiores de vida às formas mais elevadas até chegar ao homem o ser humano. 
Mas o que constitui uma espécie? 
Uma classe de plantas ou animais que tenham propriedades e características comuns, e que se possam propagar entre si, indefinidamente sem mudarem essas características, isso constitui uma espécie. 
Uma espécie pode reproduzir uma variedade, isto é, uma ou mais plantas ou animais isolados possuindo uma peculiaridade acentuada que não seja comum à espécie em geral. 
Por exemplo;
 Um tipo especial de cavalo de corrida pode ser reproduzido por processo especial, mas é sempre cavalo, não muda. Quando se reproduz uma variedade e essa se perpetua por muitas gerações temos uma raça. De maneira que na espécie canina (cão) temos muitas raças que diferem consideravelmente uma das 
outras, mas todas retêm certas características que as marcam como pertencentes à família dos cães. 
Ao lermos que Deus fez cada criatura segundo a sua espécie, não dizemos que Deus as fez incapazes de se desenvolverem em variedades novas, se diz que Ele criou cada espécie distinta e as separada e colocou uma barreira entre elas, de maneira que, por exemplo, um cavalo não se deveria desenvolver de maneira que se transformasse em animal que não seja cavalo. 
Qual é a prova pela qual se conhece a distinção entre as  espécies? 
A prova é esta: 
Se os animais podem cruzar-se, e podem produzir uma descendência fértil por tempo indefinido, então são da mesma espécie, de outra maneira, não o são. 
Por exemplo, sabe-se que os cavalos e os jumentos são de diferentes espécies, e, embora do cruzamento da égua com o jumento resulte a mula, esta não tem a capacidade de gerar outra mula, ou seja, a espécie 
mula se gerasse mudaria a espécie. 
Este fato constitui argumento contra a teoria da evolução, pois mostra claramente que Deus colocou uma barreira entre as espécies para que uma espécie não se transforme em outra. Define-se a ciência da seguinte maneira: "conhecimentos comprovados". 
Seria a evolução um fato comprovado? 
A teoria mais propagada da evolução é a de Darwin. 
Entretanto, poderíamos citar os nomes de muitos cientistas eminentes que declaram que a teoria de Darwin já caiu por faltas de provas. O Dr. Coppens escreve:                O Dr. Coppens 
Deus que  criou o homem, Espécie, O homem foi criado à semelhança de Deus, O homem foi criado à  imagem semelhança de Deus,  arrebatamento da igreja.
Embora os cientistas hajam trabalhado muitos 
anos pesquisando a terra e os mares, examinando os restos de  fósseis de um sem número de espécies de plantas e animais, e  tenham aplicado todo o gênio inventivo do homem para obter e perpetuar novas raças e variedades, nunca conseguiram exibir 
uma prova decisiva de que a transformação das  Dr.  espécies, pelo menos uma vez, tenha sucedido. 
Os animais de hoje são como os  que se vêem desenhados nas pirâmides ou mumificados nos túmulos do Egito. São iguais àqueles que deixaram sua forma  fóssil nas rochas. Muitas espécies já foram extintas, outras foram achadas  das quais não se descobriu nenhum espécime muito antigo, mas 
não se pode provar que qualquer espécie tenha evoluído de outra. Há um abismo intransponível entre os irracionais e o homem.  
Entre a forma mais elevada de animal e a forma da vida humana. Nenhum animal usa ferramentas, acende fogo, emprega linguagem articulada, ou tem capacidade de conhecer as coisas espirituais. Mas todas essas coisas encontram-se na forma inferior de vida humana. 
O macaco mais inteligente não passa de um irracional, mas o espécime mais degradado do 
homem continua sempre um ser humano. Os evolucionistas inventaram um tipo de criatura pelo qual o macaco passou para o estágio humano. Esse é o tal "elo perdido" que se chama "Pithecanthropus erectus". 
Mas onde está a evidência? 
Há anos alguns  ossos isto é, dois dentes, um fêmur e uma parte de um crânio  foram  descobertos na ilha de Java. Com um pouco de gesso reconstruíram o que dizem ser o elo perdido que une os humanos com a criação inferior! 
Outros "elos" também se  fabricaram da mesma maneira. 
Mas o Dr. Etheridge, examinador  do Museu Britânico, disse:
 "Em todo este grande museu não há uma partícula de evidência da transmutação das espécies. Este museu está cheio de provas da falsidade dessas ideias.
" Nathan G. Moore escreveu o que podemos chamar um "exame de advogado"sobre a teoria da evolução. 
Seu livro baseia-se numa avaliação dos fatos expostos em algumas das obras cientificas mais recentes escritas em favor dessa teoria. 
Sendo ele advogado e profissional nas leis da evidência, seu testemunho é de valor prático. 
O propósito desse escritor é "comparar os fatos principais e submeter ao juízo do leitor ponderado o seguinte: 
Primeiro, se os fatos provam ou não a hipótese (uma explicação suposta) de que o homem é produto da evolução em vez de ser criado;
 E, segundo, se existe ou não uma lei ou conjunto de leis que possam explicar as evidências de modo natural. Depois de um exame detalhado dos  fatos, esse advogado chegou às seguintes conclusões: 
A teoria da evolução não explica, nem ajuda a explicar, a origem do homem. 
Nem apresenta provas de que o homem tivesse evoluído de uma forma inferior, mesmo fisicamente. Essa teoria nem sequer sugere um método pelo qual o homem tenha adquirido essas qualidades mais elevadas que o distinguem das outras formas de vida. 
Outro advogado, Filipe Mauro, faz da seguinte maneira um resumo das evidências apresentadas pelos proponentes da teoria da evolução: 
Imaginem um litigante em juízo a quem cabe o ônus da prova. 
Ele insiste em que sua declaração está certa e exige  sentença favorável, mas não apresenta provas que sustentem as suas alegações. 
Na verdade, toda a evidência apresentada em juízo depõe contra ele. 
Ele exige, todavia, que a decisão seja favorável  por causa das seguintes suposições: 
1) Que grande número de provas, que já existiram (os "elos perdidos" etc.) foram totalmente 
destruídas; 
2) se essas provas pudessem ser reproduzidas agora, elas seriam a seu favor! Tal é o estado absurdo de coisas em que a teoria da evolução se encontra atualmente. Os evolucionistas procuram unir o homem ao irracional, mas Jesus Cristo veio ao mundo para unir o homem a Deus. 
Ele tomou sobre si a nossa natureza para poder glorificá-la no seu destino celestial. 
"Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome" (João 1:12), filhos de Deus gerados por Deus.. 
Aqueles que participam de sua vida Divina chegam a ser membros de uma nova e mais elevada raça  sim, filhos de Deus! Porém, essa nova raça surgiu.
 (o "homem novo" diz a Bíblia. Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz. E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades Efésios 2:15,16 ), não  porque a natureza humana evoluísse até à Divina, mas porque a Divina penetrou na natureza humana. 
E àqueles que são "participantes da natureza divina".
 ( E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo. João 1:14 e 2 Ped. 1:4)
João, o apóstolo, diz: "Amados, agora somos filhos de Deus" (1 João 3:2).
Apresentando aqui o natureza humana criada por Deus e não fruto da evolução.
Deus preparou um novo corpo, um novo tabernáculo para quem deixar esse mundo e tiver a salvação da alma  pela fé em Jesus.
Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: (Disse Jesus).
Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
João 6:40, João 6:39, João 3:15.
Então o nosso post tende a confortar aqueles tem entes queridos que partiram, ou que tem medo da morte, que em algum momento chegará  para todos. Quando morremos vamos para algum lugar onde ficaremos aguardando a ressurreição do nosso corpo para o julgamento das obras. 
Mas a vários tipos de julgamentos; Assim diz o Senhor... Eu sou o primeiro, e eu sou o último..." (Isa.44:6). 
Deus já escreveu, tanto o primeiro como o último capítulo da  história de todas as coisas. Ele já esteve lá no furturo. No livro de Gênesis lemos acerca da origem de todas as coisas do universo, da vida, do homem, da  humana, do pecado e da morte, (a dissolução do tabernáculo onde Deus mora, 2 Coríntios 5:1). 
Nas Escrituras  proféticas, mui especialmente no livro do Apocalipse, revela-se  como essas coisas alcançarão seu alvo máximo e a consumação. Muitos, como Daniel, perguntam assim: 
"Qual será o fim dessas  coisas?" 
(Dan. 12:8). Somente Deus pode responder à pergunta e a resposta se encontra nas Escrituras. 
A morte separa a alma do corpo pela qual os humanos são introduzido no mundo invisível. 
Essa experiência descreve se como "dormir" (João 11:11; Deut. 31:16), o desfazer da casa terrestre deste Tabernáculo (2Cor. 5:1), deixar este  tabernáculo (2Ped. 1:4), Deus pedindo a alma (Luc. 12:20), seguir  o caminho por onde não tornará (Jo 16:22), ser congregado ao  seu povo (Gên. 49:33), descer ao silêncio (Sal. 115:17),  expirar (Atos 5:10), tornar-se em pó (Gên.3:19), fugir como a  sombra (Jo 14:2), e partir (Fil. 1:23). 
A morte é o primeiro efeito externo ou manifestação visível  do pecado, e será o último efeito do pecado, do qual seremos salvos no final, não vamos mais morrer. (Rom. 5:12; 1Cor. 15:26.) 
O Salvador aboliu a morte e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho, (1Tim.  1:10.).
 A palavra "abolir" significa anular ou tornar negativo.  A morte fica anulada como sentença condenatória e a vida  é oferecida a todos. 
Entretanto, embora a morte física continue  a manifestar-se, ela torna-se uma porta que conduz a vida para  aqueles que aceitam a Cristo que prometeu que todos que o aceitam e seguem seus preceitos estão salvos. 
Qual a conexão entre a morte e a doutrina da imortalidade?  
Há dois termos, "imortalidade" e "incorrupção" que se usam em referência à ressurreição do corpo, (1Cor. 15:53,54.) 
A imortalidade  significa não estar sujeito à morte, e nas Escrituras emprega-se em referência ao corpo e não à alma (embora esteja implícita a imortalidade da alma. Mesmo os cristãos estão sujeitos à morte por serem mortais os seus corpos. 
Depois da ressurreição e do arrebatamento da igreja, os cristãos desfrutarão da  imortalidade. 
Isto é, receberão corpos glorificados que não estarão  sujeitos à morte. 
Os ímpios, isso é aqueles que prefiram não acreditar e viverem suas vidas as sua maneira, também serão ressuscitados. 
Mas isso quer dizer  que desfrutarão dessa imortalidade do corpo? 
Não; 
Sua inteira condição é a de morte, e separação de Deus  estão mortos para sempre existindo na eternidade mas mortos separados de Deus assim como viveram aqui. A bíblia chama isso de segunda morte;
Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte, Apocalipse 21:8.
Embora tenham  existência, não gozam de comunhão com Deus e nem da glorificação do corpo, a qual realmente constitui a imortalidade que Cristo falou. Conscientemente existirão numa condição de sujeição à morte no lago de fogo. 
Sua ressurreição não é a "ressurreição da vida", mas a "ressurreição para a condenação".
 (E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação, João 5:29). 
Deve ser observado que os que forem salvos, não receberão sua  recompensa final nem os que não se salvaram, seu castigo final, enquanto não se realizarem as suas respectivas ressurreições. 
Se a "imortalidade", à qual se referem as Escrituras, se referisse ao corpo, como se  justificaria a referência à imortalidade da alma? 
Tanto no Antigo  como no Novo Testamento, a morte é a separação do corpo e da alma, então o corpo morre e volta ao pó, a alma ou o espírito continua a existir conscientemente no mundo invisível dos espíritos desencarnados. 
Assim os humanos são mortais, estando o seus corpos sujeito à  morte, embora seja imortal a sua alma, que sobrevive à destruição do corpo na morte. 
Qual a distinção entre imortalidade e vida eterna? 
A imortalidade é futura Vejamos;
(A vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, honra e incorrupção. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
Rom. 2:7; 1Cor. 15:53,54),isso refere-se à glorificação dos corpos mortais (daqueles que aceitaram e creram na pregação do evangelho) por ocasião da ressurreição isso é imortalidade. 
A vida eterna já refere-se principalmente ao espírito do humano, é uma possessão que não é afetada pela morte do corpo. 
A vida eterna alcançará sua perfeição na vinda de Cristo, e será vivida em um corpo glorificado que a morte não mais poderá destruir. 
Todos os cristãos que aceitaram  genuinamente o evangelho de Cristo, quer vivos quer falecidos, já possuem a vida eterna, mas somente na ressurreição terão alcançado a  imortalidade por completo.
Na ressurreição  os humanos serão julgados, mas há vários tipos de julgamento descrito na Bíblia pelo menos sete.
Podemos elaborar a seguinte lista de julgamentos mencionados nas Escrituras: 
(1) Jo 12.31 — O julgamento dos pecados dos crentes, na cruz 
(2) 1 Co 11.31 — O julgamento dos crentes de si mesmos. 
(3) 2 Co 5.10 — O julgamento das obras dos crentes. 
(4) Mt  25.31 a 46 — O julgamento das nações na vinda de Cristo. 
(5) Ez 20.37 — O julgamento de Israel na vinda de Cristo. 
(6) Jd 6 — O julgamento dos anjos depois do Milênio. 
(7) Ap 20.12 — O julgamento dos impios mortos no decorrer da existência terrena desde do tempo do pecado de Adão.
O que interessa são quatro;
É  o julgamento dos (pecadaos na cruz),  (julagamento das obras), e o último julgamento.
 |a) Jo 12.31; O julgamento dos pecados dos crentes, na cruz .
Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo, João 12:31. 
Quando estava para ser crucificado Jesus citou essa frase. 
Satanás não teria mais poder sobre os humanos a partir daquele momento.
b) 1 Co 11.31 — O julgamento dos crentes de si mesmos. 
Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados, 1 Coríntios 11:31.
c) 2 Co 5.10;  O julgamento das obras dos crentes aqueles que aceitaram a salvação terão direitos exclusivos n hierarquia do Eterno.
Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal, 2 Coríntios 5:10.
d) Ap 20.12 — O julgamento dos impios mortos no decorrer da existência terrena desde do tempo do pecado de Adão.
E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros, e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras, Apocalipse 20:12.
São os julgamentos que envolve toda a humanidade cristã. Os livros de Deus, é para provar que não houve fraude, e que o julgamento é justo. Tudo o que o humano fez na vida terrena está anotado lá, se ele não se arrepender e voltar se para Deus para que sejam apagados seus crimes, antes da sua morte.
Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor e envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado.
Atos 3:19,20.
Então ao morrer o ser humano vai para o estado intermediário no, nem é céu nem é inferno, onde ficará lá aguardadando a ressurreição.
Mas os crentes  também vão? Ho sim também.
O nome desse lugar é hades, a inferno eterno é geena, que se refere a penitenciária eterna de quem não aceitou ao Senhor Jesus na sua vida terrena.
já o lago de fogo que a bíblia fala é sinonimo de geena que difere do hades por se tratar de um lugar onde há graus de sofrimento. assim o inferno de sofrimento será diferente para algumas pessoas dependendo do seu grau de maldade 🖤. Até mesmo será levando em conta quantas vezes ela rejeitou a Cristo.
Vamos ler na Bíblia?...
Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus, Por isso eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro e Sidom, no dia do juízo, do que para vós. E tu, Cafarnaum, que te ergues até ao céu, serás abatida até ao inferno; porque, se em Sodoma tivesse sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti.  Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que devorais as casas das viúvas, sob pretexto de prolongadas orações; por isso sofrereis mais rigoroso juízo. Encontramos aqui na Bíblia, Romanos 2:4,5, Mateus 11:22-24, Mateus 23:14.
O hades era o lugar onde as almas de todos os humanos que morriam antes da crucificação de Jesus iam ate aquele momento. Quer dizer sheol no Antigo Testamento e o hades no novo testamento é o mesmo lugar.
No sheol ou hades havia dois compartimentos, o de goso, e o de tormento. Goso para os salvos e tormentos para aqueles que praticaram o mau, e não foram salvos. A area dos salvos era conhecida como paraiso ou seio de Abraão, onde foi oa ladrão da cruz no dia da morte de Jesus ver;
Lucas16.22,23, E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.
O ladrão foi para o paraiso porque reconheceu Jesus como Salvador e Deus. Para a mansão dos mortos Cristo se conduziu depois da sua morte para transportar o paraiso até o terceiro céu transportando de lá todos os justos desde a época de Abel  até aquele momento.
É por isso que no Novo Testamento  fala de um lugar acima o paraiso de Deus.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus. Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar, Apocalipse 2:7, 2 Coríntios 12:4.
Então a repartiução do hades dos justos fora esvaziada por aquele que venceu na cruz, e tem as chaves da morte e do inferno.
E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno, Apocalipse 1:18.
Agora a divisão do hades onde estava o rico da parabola de Lucas 16, continua cheia, e vai enchendo até o dia da ressurreição do último dia quando sairão de á para prestar contas dos seus atos aqui na terra.
Os que morrem se ajuntam ao homem rico de Lucas 16 até o dia da ressurreição quando terão um encontro com Cristo para o julgamento final.
A palavra geena é usado doze vezes no Antigo Testamento e se refere ao lugar onde o rei Acaz introduziu o sacrifício de criancinhas ao deus maloque. Então edificou Salomão um alto a Quemós, a abominação dos moabitas, sobre o monte que está diante de Jerusalém, e a Moloque, a abominação dos filhos de Amom, 1 Reis 11:7,8.
Esse lugar detestável ficou sendo usado por muito tempo como deposito de lixo, onde o fogo e a fumaça subia continuamente como um inferno.
O lago de fogo é o lugar final de todos os que rejeitam a Cristo ao longo de suas vidas. Seus nomes não estão no livro da vida, inclusive os que adorarem o anticristo e o falso profeta do período da tribulação. Estarão separados de Deus para sempre. Pensemos bem nisso.
Fontes;  Pastor Myer Pearlman Conhecendo As Doutrinas Da Bíblia /  Pastor Missionário Orlando Boyer Pequena Enciclopédia Bíblica  Pastor 1000 verbetes /  Pastor Eurico Bergstén Coleção de Teologia Sistemática.


Comentários