O Arrebatamento Pré-Tribulacinal Parece Ser Única Interpretação Viável Para Mateus 25.

E em Mateus 25:31-46, a Parábola das Ovelhas e Bodes nos dá a indicação mais clara do tempo até agora. Começa com:
E em Mateus 25:31-46, a Parábola das Ovelhas e Bodes nos dá a indicação mais clara do tempo até agora. Começa com:
O Arrebatamento Pré-Tribulacinal. 
 Parece Ser Única Interpretação Viável para Mateus 25.
 A igreja não passará pela tribulação dos últimos dias.
 "Quando o Filho do Homem vier em toda a Sua glória, e todos os anjos com Ele..."
 Isso é o julgamento dos sobreviventes da grande tribulação, tribulação, alguns dos quais serão crentes e serão bem-vindos ao Reino Milenar, enquanto os outros serão levados para o castigo eterno (Mateus. 25:46).
 Note que em Apocalipse Diz:
(Vieram da, e não de, com dizem alguns incautos, que acha que será uma tribulação normal).
E um dos anciãos me falou, dizendo: Estes que estão vestidos de vestes brancas, quem são, e de onde vieram? E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro, Apocalipse 7:13,14.
A Igreja é a Esposa de Cristo, (E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro, Apocalipse 21:9), o grupo mais conceituado na história da humanidade e aquele com quem Jesus está mais próximo, pois Ele deu Sua Vida para resgatá-lo. 
Deixar de nos mencionar nem mesmo uma vez em Sua discussão de assinatura do fim dos tempos só pode ser explicado pelo fato de que, ao longo do Discurso das Oliveiras, o Senhor estava focado em Israel e não na Igreja. 
Portanto, qualquer tentativa de usar essa passagem em referência ao arrebatamento da Igreja requer tirar partes dela do contexto e, em alguns casos, uma reinterpretação do texto também é necessária. O arrebatamento pré-tribo da Igreja continua a ser a única posição que é consistente com uma interpretação literal das Escrituras.
Entendo mais amiúde:
Mateus 25.31 se assentará no trono da sua glória. 
Isso é uma referência ao reinado nado terreno de Cristo que está descrito, em Apocalipse 20.4-6. 
O julgamento descrito aqui nos vs. 32-46, é diferente do julgamento do grande trono de Apocalipse 20.11-15. 
Esse julgamento precede o reino milenar de Cristo O Cordeiro, e ao que parece, estarão sujeitos a ele apenas os que estiverem vivos em sua vinda para julgar as nações. 
Esse acontecimento é às vezes tratado o julgamento das nações, mas as sentenças se aplicam aos indivíduos nas nações, (Ver. v. 46). 
25.32-33 Ovelhas. Isto é, os crentes do período da tribulação, os que não receberam a marca da besta, (10.16; SI 79.13; Ezequiel 34). Eles terão o lugar "à sua direita", só nesse tempo e só para quem não foi arrebatado e estiverem vivo nesse tempo.  
Cabritos: Estes representam os que não creram mesmo durante as pragas do apocalipse. são os descrentes, destinados ao lugar de desonra e rejeição. São perseguidores dos judeus e adeptos da doutrina do anticristo. Que não deram apoio a um Israelita afligido.
15.34Lugar que que vos está preparado: 
Essa terminologia enfatiza que a salvação destes é um gracioso presente de Deus, não algo obtido pelo mérito dos feitos descritos nos vs. 35-36. 
Antes da "fundação do mundo" eles foram escolhidos por Deus e receberam a ordem de serem santos (Efésios 1.4) predestinados a serem conformes à imagem de Cristo (Romanos 8.29). 
Desse modo, as boas ações recomendadas nos vs. 35-36 são o fruto, não a raiz de sua salvação. 
Os feitos não são a base para sua entrada no reino, mas simplesmente manifestações da graça de Deus na vida deles durante a perseguição ajudando os necessitados. 
Eles são o critério objetivo para o julgamento, porque são a evidência da fé salvadora (veja. Tiago 2.14-26'.

Comentários